free hit
counters
ECU/ECM, BUGS & MISFIRES - Topics - The Lotus Forums Jump to content


ECU/ECM, BUGS & MISFIRES


Recommended Posts

Olá a todos.

Começo este novo tópico a relatar a minha experiência pessoal, depois de ficar na estrada com a morte súbita (eléctrica) do motor do Elise.

Penso que o tópico que agora abro será de muito interesse para todos os Lotistas, pois falhas de funcionamento do motor e avarias eléctricas hoje em dias são mais que muitas.

Continuando.

Como tudo o que envolva Elises, não é fácil metê-los em cima de um reboque e muito menos rebocá-los, lá cumpri a humilhante missão de o levar à corda de regresso a casa, situação que além de ilegal não prestigia em nada a máquina.

Mas como estava a cerca de ½ km de casa, não corria riscos (vantagens de viver fora das cidades; e o Elise foi cuidadoso em avariar perto de casa, não vá o dono perder a cabeça).

Porque a fera persistia na recusa de funcionar não me restou outra alternativa senão começar a consultar a net na busca de qualquer elemento que me pudesse ajudar, facto que, para além de facilitar muito também complica pois as possíveis causas das avarias atingem as várias dezenas.

Desde o indivíduo cujo catalizador obstruiu por completo (deveria estar a usar óleo de fritos), ao filtro de gasolina sujo, à falha de sensores, à avaria de componentes, à falha de pontos de massa, à quebra de fios, à gasolina com demasiada “antiguidade”, ao motor cuja distribuição “descomandou”, de tudo havia um pouco.

Como não sou nenhum guru na magia negra dos sinais e impulsos electrónicos (que é o que se passará com o meu Elise) só me restou a alternativa de seguir as opiniões dos maiores experts dos foruns do ciberespaço, ou seja, verificar pela seguinte ordem: botão de inércia ok – fusível bomba gasolina ok – bomba gasolina ok – cabos velas ok – tampa e cachimbo distribuidor ok – bobine ok – sensor cambota ok.

Tudo isto antes de se pensar se a causa será a ECU/ECM – centralina, ou mais qualquer outra coisa.

Porque os meus meios de diagnóstico são quase nulos e estes problemas não se vêm a olho, só me resta a alternativa de pegar no multímetro do tempo dos amplificadores e colunas de som e começar a medir continuidades, impedâncias e resistências dos vários fios, ligações, sensores e componentes.

Digamos que passei a entender mais a fundo o que são as MFRU, IAC, TPS, IAT, ECT, AAT, CRP, o esquema eléctrico do carro, os pins da centralina, as cores dos fios, etc, etc, etc.

Depois de muitas medições lá cheguei à bobine de velas cujo circuito primário em vez de ter a resistência de 0,63 a 0,77 Ohms a 20ºC, apresentava somente 0,02 Ohms.

Convêm referir que a primeira coisa que fiz quando o Elise chegou à garagem foi verificar se saltavam faíscas do cabo de velas e não é que elas existiam.

Lá está, não basta ver, é preciso medir e verificar o estado dos componentes.

Depreendo, assim, que tenho a bobine das velas avariada.

Logo que tenha a nova bobine relato o desfecho.

No entretanto estou aberto a opiniões.

E outras situações de proprietários Lotus (infelizmente para nós).

Link to post
Share on other sites

Upgrade today to remove Google ads and support TLF.
  • Replies 24
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

Ainda bem que correu tudo pelo melhor. Um dos proprietarios de um Elise 111r cá em Portugal teve um problema semelhante e descobriu-se que o fio de massa se tinha soltado.

Link to post
Share on other sites

Boa Albino. :) Já agora, e não sabendo se já encomendou a peça em questão, tem esta original no eBay a um preço bem porreiro:

http://cgi.ebay.co.uk/ws/eBayISAPI.dll?ViewItem&item=250776336962&ssPageName=STRK:MEWAX:IT

De facto, a bobine é algo que não vai perdendo propriedades ao longo da sua vida (pelo contrário, tal acontece com os cabos de velas) pelo que funciona perfeitamente ou não. Mas primeiro que se chegue lá...é um bico de obra. Nos K's é "frequente" esta peça avariar ali pelos 100000/150000km (pelo menos nos Rover).

Um abraço,

Link to post
Share on other sites

Olá Albino,

Também eu estou com problemas na ignição do meu Elise K-Series com alguns misfires que teimam em aparecer. O tempo para me debruçar sobre o motor do Elise não é muito mas agora tenho mesmo de me dedicar a ele pois o bom tempo puxa pelo carro. A minha primeira intervenção para resolver o problema foi trocar as velas e aí descobri que um dos cachimbos (sem bobine) estava com a parte plástica rachada. Não acredito que o problema venha daí mas enquanto não trocar não posso eliminar essa variavel. Isto é um item standard Rover e encontro sem dificuldades na net, mas no entanto ainda não o comprei. Em Portugal só me vendem o kit completo, presumo que com as bobines!

Albino, consegue explicar por poucas palavras o que medir e onde medir na parte da distribuíção? Posso tentar fazer esse fault finding até descobir de onde possa vir o problema já que também ainda não me decidi a comprar um leitor OBDII que poderia facilitar a tarefa. Neste momento não sei que cilindro falha e o que provoca tal efeito

Obrigado

Rui Pedro Coelho

Link to post
Share on other sites

Rui, o teu já tem OBDII? :question: Se quiseres empresto-te o meu + software. Envio-te por correio ou entrego em mão a alguém que vá de LX para o Porto.

Um abraço,

Edit: Albino, não sei se viu a minha mensagem para si no outro tópico. Quando poder dê uma olhadela. :)

Edited by migueldefender
Link to post
Share on other sites

Miguel,

O S2 já tem OBD. Se fores ao pequeno almoço da Ascari podes entregar ao Manuel Pinheiro que ele depois dá-me durante a semana. Logo que eu perceba o que se passa com a minha ECU eu envio-te de volta

Obrigado pela disponibilidade!

Edited by rco3lho

Rui Pedro Coelho

Link to post
Share on other sites

Vou tentar lá passar. ;) E depois não tenho pressa alguma no leitor, só o usei uma vez há uns anos, e foi só para testar na altura em que o comprei. Como podes ver não é uma ferramenta que eu use, por isso ficas com ele até um próximo evento. :)

Um abraço,

Link to post
Share on other sites

Boa noite Rui e Miguel.

Obrigado aos dois pelas informações.

Desculpem, no entanto, a minha ignorância - o que é o OBD / OBDII ?

Quanto ao Miguel, a dica da bobine no ebay já veio tarde pois já tinha ido às compras á EliseParts, para essa e mais duas peças (como já lhe disse, o Elise está a sair-me um bom mealheiro).

A foto do autocolante na base do suporte do jogo pedaleiro vai ser tirada este fim-de-semana se tudo correr bem.

Depois mando-a por mail.

Quanto aos problemas do Rui creio que dificilmente serão da ECU.

Aliás, pelo que já vi e li, esta deve ser a última peça a ter problemas em qualquer Elise - antes de rebentar existem muitas outras peças a darem problemas primeiro.

Aconselho o Rui primeiro a verificar 4 pontos do Elise:

1- Verificar primeiro o funcionamento correcto do botão de inércia e se a bomba de gasolina trabalha bem - aqui bastará verificar se o barulho da mesma é sempre igual, pois é audível antes de dar à ignição durante 3/5 segundos e sempre que o motor está a trabalhar.

2- Verificar a boa condutividade dos pontos de massa do chassis - bateria, do chassis - bloco motor/caixa e do chassis - ECU/componentes de ignição e injecção.

3- Verificar o bom funcionamento da unidade MFRU - caixa de contactores que tem dentro de si a ralé da sonda lambda, a ralé da bomba de gasolina, a ralé do motor de arranque e a ralé da ECU/componentes de ignição e injecção (esta última ralé alimenta o + da ECU e o - dos injectores). Como se vê, a falha de uma função deste componente implica a paragem ou o mau funcionamento do motor.

4- Verificar o bom funcionamento dos componentes de alta tensão das velas. Aqui o Rui já tem velas novas e pelo que vi possui motor K de 2 bobines/cachimbo que depois leva cada uma um cabo HT para alimentar uma segunda vela, ou seja, cada bobine alimenta ao mesmo tempo 2 velas, sendo uma das faiscas desperdiçada ao descarregar no pistão que está a fazer o tempo de escape. Funcionam emparelhadas pistões 1-4 e 2-3. Em matéria de alta tensão, qualquer possibilidade de fuga de energia deve ser eliminada pois a potência da descarga da energia que é conduzida para as velas foge mesmo por qualquer sitio. Como disse, tem o isolamento do cachimbo de uma das velas partido, razão porque deve trocar esses 2 cabos HT antes de mais.

Não lhe posso dar mais conselhos pois não sei se o motor do Elise do Rui é a versão normal ou a VVC.

Mas isto deve ser suficiente.

Dependendo do problema desaparecer ou não, então depois puder-se-á começar a pensar nos sensores de posição da cambota e da árvore de cames (motor VVC), nas bobines de ignição, nos injectores e só no fim de tudo na ECU.

Boa pesquisa e trabalho a ambos.

Link to post
Share on other sites

Albino,

Numa das raras vezes que lhe posso "ensinar" algo sobre o Elise, OBD é a sigla de On Board Diagnostics um protocolo de informação comum usado em pratucamente todos os carros actuais. Na prática é uma ficha de ligação à ECU que permite a leitura dos códigos de erros armazenados, permite a leitura online de vários parametros do carro, permite o reset de certos erros, etc.

wikipedia.org/wiki/On-board_diagnostics

Rui Pedro Coelho

Link to post
Share on other sites

Olá Rui

Obrigado pela informação sobre a OBD.

Já tinha lido sobre a ficha eléctrica que existe perto da mala traseira dos Elises S1, que permite aceder a esses dados.

Só que como não tenho o aparelho de diagnóstico que permite consultar os dados da ECU nem relacionei.

Em matéria de diagnóstico de falhas realmente não deve haver melhor, é a própria ECU que nos diz o que está mal sem demoras e sem palpites.

De qualquer modo as ECU dos Elises K engine, a MPi MEMS 1.9, a VVC MEMS 2 e a MPi/VVC MEMS 3, embora não sejam programáveis e registem os erros, são de funcionamento auto-ajustável, adaptando procedimentos de ignição/injecção á medida que os parâmetros e ocorrências eléctricas dos vários sensores e componentes de gestão do motor vão sendo observados e cálculados pelos dados armazenados na sua memória.

Mas aqui eu já não ensino nada ao Rui.

PS - No post anterior esqueci-me de lhe dizer que a MFRU são as iniciais de Multi Funtion Relay Unit.

Esqueci-me também, de o aconselhar a comprar um bom spray limpa-contactos, existente nas lojas de venda de material electrónico, para ir limpando os contactos das fichas eléctricas que for verificando.

Para limpar esses contactos basta pulverizar os terminais metálicos dessas fichas com o tal spray, secando bem o interior dessas ligações passados uns minutos, de preferência com ar comprimido.

Atenção que esses sprays são inflamáveis razão porque devem ser aplicados em locais ventilados e sem que o motor esteja a trabalhar ou haja a possibilidade de ocorrer a ignição dos seus vapores.

O mesmo se passa com os sprays mata moscas ou de tintas e nunca daí advieram problemas de maior.

O Rui deve também verificar o estado mecânico dos terminais, não vá algum estar mais folgado e haver falhas de contactos entre os terminais metálicos macho/fêmea.

Abraço

Link to post
Share on other sites

Boas.

Recebi hoje a nova bobine de ignição e a MFRU que mandei vir à cautela.

Tudo instalado no Elise, mais um cachimbo antigo do distribuidor, que me pareceu melhor que o novo que lá andava e o carro pegou à primeira.

Coisas da magia negra das electrónicas.

Espero que estes caprichos não se repitam.

Abraço a todos pois agora vou assapar um pouco p´ra matar saudades pois claro.

Bom fim-de-semana.

Link to post
Share on other sites

Pois o meu ficou pior hoje :(

Coloquei a trabalhar e começou a falhar mais e mais até que foi abaixo. Consigo que ele pegue mas o som é tudo menos agradavel, parece um motor de tirar água!...

O facto de ele pegar e trabalhar faz-me eliminar o botão de inércia e a bomba de gasolina. Posso-me virar para a MFRU, mas o que vou procurar aqui? Como poderei perceber se está ou não a funcionar bem? As minhas suspeitas são menores para este lado pois o carro trabalha (se tiver de comprar uma MFRU são mais £10 as juntar às £8 dos cabos de velas).

As bobines do meu motor K 120cv são de topo com dois cabos para os restantes cilindros

O teste de faisca nas velas é feito com a vela fora e o roscado a tocar na massa, correcto? O motor tem de trabalhar ou basta o motor de arranque? Vou eliminar esta variavel antes de me embrenhar em mais problemas

Rui Pedro Coelho

Link to post
Share on other sites

Olá Rui.

Li agora os desenvolvimentos no seu Elise.

Os motores têm duas componentes essenciais - a carburação e a ignição.

Pelo que escreveu não podemos descartar nem uma nem outra.

O facto de dizer que o motor pega e começa a falhar mais e mais até que vai abaixo pode indicar problemas de abastecimento de gasolina aos injectores.

Porquê?

Porque as injecções dos K precisam que os injectores estejam abastecidos com combustível entre 2,8 a 3 bares de pressão.

E o que descreve parece querer indicar que essa pressão vai diminuindo até que o motor pára.

Para eliminar possíveis causas antes de começar a gastar € a sério eu substituiria sem qualquer dúvida a MFRU (mais os dois cabos de velas).

A MFRU possui 4 ralés e 4 pontos de contacto e as falhas tanto se podem verificar nas bobines das ralés como nos platinados dos contactos.

Por outro lado, o Rui já viu o estado do catalizador?

Parece estupido mas muita gente já relatou problemas idênticos aos do Rui, trocou tudo o que havia para substituir por novo para depois vir a descobrir que o catalizador tinha-se destruido e entupido por completo a saida dos gases de escape.

Vale a pena verificar - há que ir eliminando possíveis causas e o único custo é o trabalho de o tirar e verificar.

A maneira mais simples de se fazer o teste de faisca nas velas nos motores K, porque tem cachimbos de velas muito longos, é tirar um cabo de vela, meter-lhe uma vela velha que esteja à mão, pôr o roscado da vela em contacto com uma parte metálica do motor (sem tintas) para fazer massa, segurar nesse conjunto e pedir a uma segunda pessoa que ligue o motor.

Logo que o motor rodar, mesmo só por acção do motor de arranque, irão começar a saltar faiscas entre os dois pólos da vela.

Não tenha medo da descarga eléctrica - ela só ocorre entre os pólos e o isolamento do cabo de vela não deixa passar absolutamente nada.

Um motor de 4 cilindros em condições normais pega mesmo em 3 cilindros e se o Rui tivesse uma das velas fora do motor ia ficar assustado com os gases de compressão a sairem pelo furo da vela (com risco de incêndio da própria mistura).

Eliminando estas quatro variáveis (MFRU + cabos de velas + catalizador ok + faiscas de ignição) se os problemas persistirem desconfio que o Rui terá que verificar a pressão da gasolina nos injectores antes de mais.

A bomba de gasolina parece que começa a dar sinais de avaria antes de avariar de vez, e manifesta esses problemas nestas aparentes falhas de motor, em especial em dias muito quentes.

Como disse acima, os injectores precisam de ser abastecidos de combustível a +- 3 bares e quanto mais baixa for essa pressão menos trabalhará o motor até cortar de vez.

Mas isso são outras guerras.

Abraço.

Link to post
Share on other sites

Update:

Hoje que cheguei a "horas decentes" a casa pude dedicar mais tempo ao Elise e penso ter descoberto o problema. Fiz o teste das velas e descobri que um dos cabos HT que liga neste caso a bobina do cilindro 2 à vela do cilindro 3 não está a dar continuidade. Ainda pensei ser um problema de um dos coil packs mas depois de ter trocado os cabos consegui perceber que os dois coil pack estão a funcionar (consegui ligar o meu Elise bicilindrico) e um dos cabos pura e simplesmente não conduz energia à vela. Já vem um set a caminho http://cgi.ebay.co.uk/ws/eBayISAPI.dll?ViewItem&item=370512970673 e espero com isto resolver os meus "misfires".

Uma coisa que notei por estar a trabalhar à noite é uma série de arcos eléctricos na zona onde passam os cabos das velas. Não sei se é uma questão de serem antigos e por isso terem o isolamento já gasto ou se é normal nos carros a gasolina (a minha vida de condutor foi quase exclusivamente com carros a gasóleo). Notam-se também alguns arcos nas fichas de ligação entre os coil packs e os cabos HT mas provavelmente é normal dada a voltagem elevada destas zonas

Rui Pedro Coelho

Link to post
Share on other sites

Olá Rui.

Fico contente por ter descoberto a razão dos problemas.

Espero que fique tudo Ok.

Como lhe tinha dito, muito coisa é preciso verificar antes de se passar um atestado de óbito à ECU.

Os arcos eléctricos nos cabos de velas que relata não são nada normais - eles estavam mesmo nas últimas.

Por aí pode ver a quantidade de energia e de potência de ignição que o motor estava a perder.

Uma observação.

Tenho notado uma grande diferença de qualidade das peças "Lotus" fornecidas por várias casas da especialidade.

Por exemplo, e sem querer passar a publicidade, as peças da SJ Sportscars são de topo, contrariamente a outros fornecedores muito mais afamados, cujo material fornecido às vezes é de muito baixa qualidade e já me tem obrigado a reparar o acabado de raparar uns meses antes.

No meu lugar, nunca arriscaria comprar esses cabos no Ebay.

De qualquer modo o Rui depois diga se continua a ter efeitos especiais no compartimento motor.

Abraço.

Link to post
Share on other sites

Depois de uma reparação no Freelander que levou a trocar o radiador e o arrefecedor de óleo e mais umas peças pegas a preço de ouro, estou num "tight budget" para as reparações Lotus :)

Vamos ver se compensa o risco

Rui Pedro Coelho

Link to post
Share on other sites

Olá Rui.

O Freelander realmente é um carro bastante "expensive".

Nem parece Land Rover.

E quanto à "besta negra", já mostra as garras?

O set de cabos de velas foi suficiente?

Abraço.

Link to post
Share on other sites

Rui,

Esse cabo que compraste é OEM? Resolveu o problema?

Para além de tudo o que o Albino já escreveu sobre este problema, o misfire está na sua maioria das vezes associado a:

- cabos de velas (o teu possivel problema).

- quando chove, agua que fica junto às velas. Este problema desaparece quando o carro aquece e a água evapora.

- filtro de gasolina. Este é um item negligenciado pelos donos e até pelas oficinas. Ele não chega a entupir, mas o elemento de cartão que tem, vai-se desfazendo e pode-te causar problemas nos injectores. Se nunca o trocaste, agora seria uma boa altura para o fazer.

- as bobines (coil packs). Este era o problema com o meu Elise, que fazia acender a luz de misfire.

- problemas electromagnéticos com indução de corrente nos cabos das velas. Este é o problema que a Lotus nunca resolveu e a razão para ter instalado o detector de misfire. Resolve-se com um bom encaminhamento dos cabos de velas e umas pequenas chapas de alumínio à volta dos coil packs. Fiz isto no meu Elise e não tive mais problemas.

Relativamente aos cabos, eu tenho um set magnecor (azul) disponivel. De qualquer forma, qualquer um funciona bem desde que não comeces a ter estes problemas de interferência magnética.

1 abraço

João

Link to post
Share on other sites

Sei que hoje chegaram os cabos mas "believe it or not" ainda estou na minha querida GE a trabalhar porque ainda não vai ser hoje que os vou montar :veryangry:

Embora a um preço baratinho, são OEM Rover provavelmente de um contentor que caiu lá para os lados de Longbridge por altura do fecho da MG/Rover

Vou tentar montar amanhã e ver se é apenas isso.

Quanto aos cabos da Magnecor, era um upgrade interessante! Diz-me um preço por PM que este não é o local para tratar de negócios :lol:

Obrigado pelas dicas

Rui Pedro Coelho

Link to post
Share on other sites

Vrum! Vruuuummmm! The Black Beast is back!! :thumbsup:

Finalmente arranjei mais um tempinho para me agarrar ao sistéma eléctrico do Elise. Troquei os cabos supressores que ligam as bobines às velas impares e toca a ligar o bicho. Notou-se logo uma melhoria no som mas persistia um ligeiro misfire que me levou a desanimar um pouco pois além de significar uma despesa maior, provavelmente com os coil pack, significaria também que não teria o carro pronto para a Boavista. Só me restava retirar os coil packs e foi aí que percebi a razão do segundo misfire.

Numa qualquer troca recente de velas fui vitima da incompetência de alguém que trocou a posição do tubo de borracha que protege a ligação à vela. Assim a parte mais estreita foi esticada para entrar num local para onde não foi concebida e o resultado era evidente:

fotografia2.jpg

Dois grandes lanhos um de cada lado! Por aqui fugia grande parte da energia pois fazia massa com o bloco e o misfire era inevitavel. Aproveitei então para limpar os contactos e a mola que faz ligação à vela:

fotografia3.jpg

Por fim e como não tenho à mão nenhum tubo de borracha com as medidas correctas tive de improvisar de forma a ter alguma esperança de ir à Boavista. Peguei em algumas memórias dos meus tempos nas cablagens e usei fita isoladora de alta temperatura para isolar os golpes. Não é uma solução muito elegante mas acreditava que iria ser eficaz, mais a mais há dezenas de Jaguar XJ e XK com cablagens com fita desta em locais inconfessaveis e ainda andam! Mas não contem a ninguém! :)

Este foi o resultado do rework:

fotografia4.jpg

Claro que mais cedo ou mais tarde terei de encontrar uma solução mais robusta mas penso que está ao nivel do isolamento da borracha. Ligado de novo o motor e o resultado é um ronronar intervalado com alguns "pops and bangs "do Sports Cat. Quinta-feira faço-lhe um test-run!

Obrigado a todos pelas dicas!

Edited by rco3lho

Rui Pedro Coelho

Link to post
Share on other sites

Parabéns Rui.

(desta vez com acento se não a Ana também me puxa as orelhas)

O material tem sempre razão.

O motivo principal porque procuro fazer tudo em casa é a descrita pelo Rui - entrega-se o carro a terceiros e depois é só mais avarias, despesas e perca de tempo.

Agora é regressar à estrada e tirar a barriga de misérias.

Abraço.

Link to post
Share on other sites

O motivo principal porque procuro fazer tudo em casa é a descrita pelo Rui - entrega-se o carro a terceiros e depois é só mais avarias, despesas e perca de tempo.

Não podia estar mais de acordo! Embora haja algumas intervenções que não me arrisco a fazer, não só por falta de ferramenta (o que até seria fácil de resolver) mas principalmente por falta de experiência, como é o caso de substituir as correias de distribuição (no VVC são 2!)

Já agora pergunto a quem souber. Quem recomendam para fazer este tipo de serviços (de preferência no Porto ou arredores)?

Num forum dos MG/Rover aconselharam uma oficina na Maia (agora não me recordo do nome) que era de um "expert" em motores Rover. Mais algum sítio?

Link to post
Share on other sites

Nuno,

Tenho vindo a recolher bom feedback de uma oficina na Maia mas não posso atestar do serviço porque nunca lá fui. Mas sei que dá assistência a K-Series e estou a pensar levar lá o meu para trocar a correia de distribuição. Ainda não tive foi oportunidade de recolher feedback Lotus mas sem dúvida foi esta a oficina que te indicaram no Forum MG

AUTO REPARADORA CATASSOL LDA

R. de Catassol 1644, 4470 Maia

229 448 378

Referência: Lar do Comércio

Rui Pedro Coelho

Link to post
Share on other sites

É essa mesmo Rui, Tenho ideia de também já termos falado dessa oficina por mail. E só para esclarecer, não conheces nenhum "lotista" que lá tenha ido?

Já me deu a sensação que sempre que falamos com alguém da área da manutenção automóvel, quando fazem aquela pergunta típica: "...que carro é?" ou "... mas precisa disso para que carro?", Quando respondemos com um simples "é para um Lotus!" o preço do serviço ou material em questão tende a aumentar sempre um pouco mais.

Aconteceu-me isso com a reparação do radiador pelo menos! thumbdown.gif

Link to post
Share on other sites



×
×
  • Create New...