free hit
counters
Junta da Cabeça - Topics - The Lotus Forums Jump to content


Junta da Cabeça


Recommended Posts

Boa Noite

Um amigo que esteve a trabalhar em França adquiriu um lotus elise S1 111S lá e vai agora proceder a todo o processo de legalização. Entretanto em conversa falámos do problema da junta da cabeça do motor series K, já abordado aqui no fórum. Queria saber se têm ideia de quanto custa alterar essa peça e colocar uma multicamada.

Esta substituição resolve o problema em definitivo? Se não o que se deve fazer?

Obrigado

Edited by ocutefodo
Link to post
Share on other sites

Upgrade today to remove Google ads and support TLF.
  • Replies 26
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

Top Posters In This Topic

Popular Posts

Afinal, as histórias de terror que se ouvem por essa internet fora, embora possam ter algum fundamento, são facilmente ultrapassadas por dados como este. Devo dizer que o K Series pode não ser tão fiá

A substituição por uma junta MLS (Range Rover) resolve o problema, não para sempre, mas durante umas boas centenas de milhares de kms não tem de se preocupar

Não sei o preço em concreto da junta, mas um kit deverá andar aí pelos 50/70€, mas isto sou a atirar

Link to post
Share on other sites

Já substitui uma junta num Disco, nada de mais, umas 3 horitas, o pior é ter de facear

Normalmente a mão de obra é um roubo, as peças até são baratas, mas sabem que os mecânicos é aquela base, basta ter as ferramentas certas

Link to post
Share on other sites

Atenção que a junta MLS apenas foi usada no FreeLander, versão 1.8, pois claro.

Quanto a preços, a junta MLS isoladamente custa £92.66 (a junta normal custa £57.29), no entanto aconselha-se é que se mude uma serie de juntas, pois há várias que vão ficar danificadas no processo. O kit de juntas mais os parafusos que deverão ser também mudados deverá ficar ali à volta dos 300€. Atenção que estou a falar de material original, e não aftermarket, mas neste caso não se pode arriscar a comprar aqueles kits de 50€ do eBay que vêm com tudo, mas que são de qualidade muito duvidosa, e nisto não podemos arriscar sob pena de destruirmos o motor definitivamente.

Após a repararação do motor com a junta MLS, não há casos conhecidos de novo HGF, mas claro, terá de ser uma substituição bem feita.

Quanto à substituição, a Lotus diz que se deve retirar o motor do carro, sendo que para isso é também aconelhável desmontar a clamshell traseira. Deverá ser um trabalho para dois dias.

Cumprimentos,

Link to post
Share on other sites

Bom dia a todos.

Acrescento mais uns conselhos a somar a tudo o que já foi dito atrás.

Todos os grandes especialistas mundiais do motor Série K recomendam que a montagem da junta MLS seja acompanhada pelo upgrade dos 10 parafusos principais e do Oil Rail-Ladder (peça em alumínio que fica no carter motor e onde os tais 10 parafusos principais vão aparafusar).

O Oil Rail-Ladder actual é consideravelmente mais reforçado que o modelo original e evita movimentos de torção e de vibração do motor na sua configuração original.

A somar a tudo isto quem pretender tornar o Série K à prova de bala só terá que adquirir mais o kit denominado PRRT, que vai colocar o termóstato no sitio certo e eliminar de vez a falha de concepção do sistema de arrefecimento original dos Elises K engine.

E aqui chegados vamos ter um conjunto motor tão fiável como as versões Toyota, mas quase por metade do peso.

Os preços de todos estes componentes podem ser calculados nos muitos sites de venda de peças existentes na net e rondam os € 400 só em material.

Acrescento que a realização de todas estas operações pode ser feita facilmente com o motor no sítio e sem remover a clamshell traseira, bastando tirar a cabeça e o carter do Série K.

Será assim uma operação para pouco mais de uma tarde de trabalho, se nada mais for feito na cabeça do motor.

Link to post
Share on other sites

Se a cabeça tiver de ser facejada então convém eliminar as porosidades que possam existir nos "firing rings". Mais info aqui.

Tenho ideia que as casas que reparam cabeças de motor costuma fazer isso antes de as facear.

Link to post
Share on other sites

Já agora, quem é que eu posso sugerir ao meu amigo, para fazer este trabalho com as peças que falaram de modo competente????

Sei que uma vez li no blog que havia um Sr especialista em lotus....

Aguardo sugestões

Edited by ocutefodo
Link to post
Share on other sites

Porque assim terás a certeza que a nova junta irá ficar 100% em contacto com uma superfície 100% lisa, livre de eventuais deformações que pode ganhar ao longo do anos. Embora haja quem não o faça, acho que pelo sim ou pelo não, deverá ser feito.

Cumprimentos,

Link to post
Share on other sites

Já agora, quem é que eu posso sugerir ao meu amigo, para fazer este trabalho com as peças que falaram de modo competente????

Sei que uma vez li no blog que havia um Sr especialista em lotus....

Aguardo sugestões

Os especialistas Lotus que conhecemos estão todos virados para os modelos clássicos e não têm grande à vontade com motores Rover ou Toyota. A solução poderá passar por encontrar um especialista MG/Rover como por exemplo a Auto Reparadora Catassol

Rui Pedro Coelho

Link to post
Share on other sites

Completamente.... Ter um Lotus no representante (que é a Jaguar/Aston), pelo menos em Lisboa, é motivo para a oficina estar toda à volta do carro para o ver a título de curiosidade, pois deverá ser a primeira vez que viram um... Se já em Jags mais antigos já não tocam, quanto mais um Lotus com motor Serie K... De que zona é o teu amigo? Tenho alguns contactos bons de quem trabalhe com motores K, se bem que a maior parte é em Lisboa.

Cumprimentos,

Edited by migueldefender
Link to post
Share on other sites

O meu amigo é da zona do algarve, deve regressar no final do verão, e não se importa de se deslocar onde for preciso para tratar deste assunto. A única coisa que frisou é que só entrega o serviço a quem lhe oferecer garatia de competência.

Link to post
Share on other sites

Na junta da cabeça, assim como em todos os trabalhos (e logicamente em todas as peças), a empresa que te vou sugerir dá garantia de um ano. ;) Eles praticamente só trabalham com MG-Rovers, e são bem conhecidos na comunidade destas duas marcas, fazendo parte do Clube MG-Rover. Digamos que têm uma imagem a manter. ;)

A empresa chama-se Concertall, e está situada em Sintra. Ao contactá-los, fala com o César, com o Pedro ou com o Ricardo, se bem que o César não está sempre por lá, pois o emprego oficial dele é na manutenção de aviões TAP (mas é uma "barra" nos motores Serie K e com o que se pode fazer com eles para meter mais potência saudável), e diz-lhes que vais da minha parte (Miguel Oliveira/MiguelDefender do MG-Rover)

Telefone do Ricardo: 913971982

Fica também com o site:

www.concertall.info

Um abraço,

Edited by migueldefender
Link to post
Share on other sites

Parece-me a mim que quem adquirir este tipo de viatura, Elise S1, e não for hábil em mecânica como você, vai ter uma dor de cabeça na hora de fazer a manutenção.

Sendo um veículo de pormenor, a titulo de exemplo, é preciso extremo cuidado inclusivé para levantar o veículo no elevador sob pena de se danificar o chassis, a quem é que se deve entregar o veículo na hora da revisão?

Quem é que é capaz de fornecer peças originais e fazer as revisões segundo as normas do fabricante? Ou seja, tal como, se leva por exemplo um Ford à concessão Ford, e a princípio ficamos descansados, pk eles usam peças originais e têm conhecimentos mínimos da viatura, onde levamos um Elise S1?

Mais, quem adquiriu um Elise S1 novo em Portugal, onde fazia a sua manutenção? Quem era o reparador especializado?

Pesquisando na internet, parece-me que esta empresa assistia os Lotus no tempo da Sonicel. Alguém confirma?

http://www.autofialhodealmeida.com/autofialhodealmeida/index.php?option=com_content&view=article&id=46&Itemid=29

Creio que como eu, muitos devem ter dúvidas nesta matéria.

Abraço

Edited by ocutefodo
Link to post
Share on other sites

Portugal não possui mercado de volume para a marca Lotus ou fabricantes similares.

Também é um país que não tem cultura automobilistica - por muito contrário que possa parecer.

Somos uma nação de electrodomésticos de 4 rodas - não de carros "diferentes/apaixonantes".

O Português normal prefere pagar uma fortuna para ter um carro supostamente de prestigio (normalmente do país da Sr.ª Merkl), do que optar por adquirir um Lotus, a metade do preço e de qualidade superior.

A acrescer a tudo isto temos uma taxação fiscal automóvel aberrante, que atrofia as mentalidades e o parque automóvel nacional desde há cerca de 30 anos a esta parte.

Como não existe volume de vendas, também não existe assistência à altura, tirando aquela oficina mais interessada/dedicada.

É a nossa sina.

Link to post
Share on other sites

Lol, então lanço o desafio de elaborar mos a tal lista de oficinas mais dedicadas/especializadas/interessadas nos lotus especialmente nas viaturas mais antigas, Elise S1, Elan,...

Edited by ocutefodo
Link to post
Share on other sites

Olá.

Relativamente a tudo o que foi escrito atrás, acrescento apenas que o trabalho da troca da junta provavelmente não se fará numa tarde. Poderá contar com dois fins de semana. Isto porque, como todos os Lotus, existirão parafusos que não saem à primeira, corrosão onde não se estava à espera e toda uma outra panóplia de surpresas, que embora não dificeis de ultrapassar, vão demorar o seu tempo.

Relativamente ao material a junta da cabeça (do Freelander) + parafusos da cabeça é que se devem garantir que são os originais. As outras não há problema em utilizar qualquer outra marca.

Relativamente à cabeça, não é necessário dar-lhe uma "facada". Deverá ser apenas confirmado que não sofre nenhuma deformação devido à entrega térmica. Isto pode-se verificar com algumas medidas que estão previstas no manual. Depois é só utilizar uma lixa fina para garantir que se eliminam todos os detritos e restos da junta antiga.

Isto não resolve o problema para sempre. Mas face ao baixo numero de quilómetros que a maioria dos Lotus fazem anualmente, eu diria que nunca mais terá este problema.

Mais um pormenor: uma das formas que estão documentadas para reduzir a probabilidade de queimar a junta da cabeça, é não ultrapassar as 3000RPM antes de o óleo atingir a temperatura ideal. Outra forma, é deixar a água estabilizar nos 85ºC e contar 5 minutos a partir deste ponto. O motor estará pronto para rotação.

Link to post
Share on other sites
  • 9 months later...

Olá a todos.

Numa tentativa de animar aqui o Forum Luso que anda muito parado neste inverno, deixo aqui o link para esta noticia demonstrativa das REAIS capacidades dos motores Rover K.

http://www.pistonheads.com/news/default.asp?storyId=25607

Se um dos últimos Caterham Superlight R equipados com motor K, aguenta 6 anos de track days consecutivos, 157,000 milhas "on-track" (mais de 250.000 kms), 600 track days, 1.000 clientes/condutores diferentes (provando que a frase "apenas um dono" não significa assim tanto), tudo isto após gastar 480 pneus, 300 calços de travões e uns estimados 1.575 milhões de mudanças de caixa de velocidade é qualquer coisa de verdadeiramente impressionante.

Tudo isto mantendo o motor e a caixa de velocidades originais.

Não se pode dizer que tenha sido uma vida fácil.

E está á venda para quem estiver interessado.

Um abraço a todos.

Link to post
Share on other sites

Afinal, as histórias de terror que se ouvem por essa internet fora, embora possam ter algum fundamento, são facilmente ultrapassadas por dados como este. Devo dizer que o K Series pode não ser tão fiável como um Toyota, mas é muito mais leve e consome muito menos.

Ex. Eu, o Pedro Charais e o Fernando Cordeiro Filho estivemos no ano passado no Algarve. Na A2 paramos em Alcacer e atestamos os carros. Depois quando chegamos ao Algarve atestamos novamente. O meu K com 160Cv levou cerca de 18€, o Toyota (136Cv) do Pedro 23€, e o Toyota SC (220Cv) do Fernando uns 27€. Todos a andar exactamente à mesma velocidade e a percorrer exactamente os mesmos Km's.

1 abraço

  • Like 1
Link to post
Share on other sites



×
×
  • Create New...